0

Cemitério Central de Timbiras virou criadouro de mosquito da dengue

Na manhã deste sábado, 13, a reportagem do site oitimba recebeu uma denúncia a respeito do Cemitério Central de Timbiras, próximo ao estádio Alvinzão. De acordo com o denunciante, vários vasos e recipientes estariam acumulando água, o que pode potencializar a proliferação de dengue no bairro Olaria e parte do centro da cidade, com risco de o mosquito transmissor da moléstia se proliferar por outras regiões da área urbana.

A reportagem esteve no cemitério e comprovou a existência de vários locais que podem se tornar criadouros do mosquito da dengue, assim como de outras doenças que possam ser transmitidas por ele como a zika e a febre Chikungunya.

Logo na chegada, constatamos a gravidade do problema, são vários os potenciais criadouros do mosquito espalhados por todo o cemitério, a maioria deles deixados por familiares dos mortos no último dia 02 de novembro quando prestaram suas homenagens aos falecidos por ocasião do dia de finados, colocando junto aos túmulos recipientes que acumulam água, como vasos, floreiras e pratos. Mas, como sabemos, a administração municipal é a grande responsável pelo estado de abandono do local já que não disponibiliza nenhum servidor público para fiscalizar e acompanhar de perto as normas que devem ser seguidas por todos.

O cemitério de Timbiras há muito tempo está dominado por usuários de drogas que assumiram o comando e transitam livremente com o aval das autoridades constituídas, é comum a reclamação de moradores que se sentem incomodados com tais presenças. A situação fica pior ainda quando a vegetação cresce, apresentando muitos perigos, como por exemplo, o risco de modidas de cobra em pessoas que visitam o local.

Uma idosa, que relata visitar frequentemente o local fúnebre, diz ajudar como pode. “Quando vejo algum pote acumulando águas, eu vou e derramo, mesmo não sendo de ninguém da minha família” frisou a aposentada.

O risco é grande e providências imediatas terão que ser tomadas pelas autoridades sanitárias do município. Que seja logo, antes que seja tarde.

ASSISTA MATÉRIA COMPLETA NO VÍDEO ABAIXO:

0

Mesmo com ausência do poder público, o carnaval de 2016 em Timbiras foi muito festejado.

FOLIÕES

Quem disse que o timbirense ainda é dependente do poder público para se divertir no carnaval? Nada disso, acabou a dependência! A ausência total da administração municipal no carnaval de 2016 foi inicialmente muito criticada, mas logo em seguida, ignorada. O período carnavalesco transcorreu na mais completa normalidade mostrando que a omissão pode ser superada, mesmo que venha ser cobrada depois.

O ponto principal de encontro dos foliões foi a avenida Brasil, no primeiro dia liberada somente até às 22h (atitude equivocada, em nome de ameaças pequenas vindas de pessoas menores ainda em relação à autoridade do estado), a partir da intervenção de um grupo de vereadores, veio o acréscimo de mais duas horas para a diversão no local.

Nenhuma das ameaças divulgadas pelas redes sociais foram concretizadas nos dias de carnaval, na delegacia, apenas prisões por badernas ou excesso de embriaguez e os presos liberados sem sofrer consequências maiores pelo grau do delito cometido.

Foliões daqui e de fora elogiaram bastante o carnaval e muitos deles prometeram voltar no ano que vem. “Eu tava com medo do carnaval daqui não prestar, mas me enganei, tinha muitas opções para a diversão, foi maravilhoso”, disse um folião à equipe do site oitimba num bar da cidade.

Nossa equipe frequentou todos os lugares da cidade onde havia movimentação relacionada ao carnaval e a única ação governamental vista, foi a distribuição (tímida) pela secretaria de saúde de camisinhas para os foliões. Ainda bem que o nosso prefeito estava com a família em um retiro de sua igreja e com certeza orou por nós e isso certamente fez Deus nos suportar e proteger o povo timbirense das ameaças que causaram a não realização do carnaval.

0

O bloco “Nem que morra… Mas é varada! Faz homenagem ao “Pau Véi”.

pau véi

BLOCO “NEM KI MORRA… MAS É VARADA! Saiu no sábado de carnaval com muita alegria, junto e misturado com o bloco Farra Flex Folia, ambos do bairro São Sebastião, arrastados ao som do paredão Bruna Alvim.

“NEM KI MORRA… MAS É VARADA!” era uma frase típica do jovem Francisco, conhecido pela alcunha de “PAU VÉI”. O abadá deste ano veio trazendo a caricatura do saudoso jovem timbirense que faleceu vitima do alcoolismo no mês de maio do ano passado.

O jovem “PAU VÉI” foi mais um dos muitos timbirenses que não conseguiu vencer a guerra contra o vicio, mesmo tendo lutado com o incentivo e apoio de familiares e amigos. A frase célebre “NEM KI MORRA… MAIS É VARADA!” que deu origem ao bloco era por muitas vezes mencionada pelo puxador dos grupos como uma forma de homenagear o seu criador.

Fica o alerta para que a juventude seja moderada com relação à ingestão de bebidas alcoólicas e que evitem experimentar qualquer outro tipo de drogas e que o espírito eufórico do carnaval não seja um passo para um futuro desastroso de um caminho sem volta como o de Francisco e de outras centenas de milhares de brasileiros que sofrem com os mais diversos vícios. Portanto, divirta-se, mas beba com moderação.

VEJA VÍDEO COM OS BLOCOS “NEM KI MORRA” E “FARRA FLEX” ONTEM NA AVENIDA BRASIL:

0

A pedido de representantes do povo de Timbiras, PM amplia o tempo para som automotivo na av. Brasil.

vereadores 1

Os Vereadores Nenzim Barros, Zé Chagas e Wilson Vieira, juntamente com o Advogado Dr. Gledson se reuniram hoje pela manhã (07/02) com o Major Hudson, Comandante do Batalhão da Policia Militar de Codó e responsável por Timbiras, a fim de chegarem a um acordo sobre o horário dos sons automotivos no principal ponto de encontro dos blocos que é avenida Brasil no centro da cidade.

Educadamente e com muita boa vontade, mesmo em pleno carnaval, o major Hudson recebeu a comitiva do legislativo e após ouvir as solicitações dos representantes de Timbiras, o Comandante da PM concordou em estender o horário de término das 22h para as 24h, aumentando em mais 2h a diversão do povo que este ano está fazendo seu próprio carnaval, uma vez que o município, como sabemos, não está realizando o carnaval oficial.

Os representantes ainda irão encaminhar ofício para a Secretaria de Cultura solicitando ao menos que a Prefeitura contrate seguranças particulares para auxiliar a polícia militar naquele local.

A liberação até este horário (meia noite) é somente para a avenida Brasil, nos outros locais continua a proibição após as 22h, sendo permitido apenas para quem já está devidamente autorizado.